“Afinal, é possível dar vida a Paredes”

“Afinal, é possível dar vida a Paredes”

0
COMPARTILHE
Samuel Moreira, JS Paredes

Quando vejo a atual agenda cultural de Pa­redes fico estu­pefacto, porque sempre pensei que não fosse possível fazer eventos que dinamizassem a população Paredense, pelo menos, pa­recia não haver hipótese de dar nome a Paredes. Podía­mos ter tudo e mais alguma coisa (nem que fosse apenas em sonhos) menos eventos de relevância que tivessem impacto na comunidade. Em pouco mais de um ano já tivemos várias atividades com um impacto enorme a nível nacional, espalhando o nome de Paredes e dando a conhecer este maravilhoso concelho. Afinal, é possível dar vida a Paredes.

Atualmente, quase todos os fins-de-semana existem eventos em que a população é protagonista pela elevada aderência, algo que era ex­tremamente raro acontecer.

Este mês de dezembro é o exemplo disso mesmo, uma programação cultural vasta e para todos os gostos, com o mote “dar vida a Paredes”. Atrações como o comboio de natal, que irá passar por to­das as freguesias do concelho levando o espírito desta épo­ca, os carrosséis no parque José Guilherme, várias expo­sições em diversos locais, fei­ra de antiguidades e cinema na casa da cultura, a culmi­nar numa festa de passagem de ano que promete ser um sucesso. Assim como foi este primeiro fim-de-semana com a inauguração das ilumina­ções de natal, enchendo o Parque José Guilherme, em frente à Câmara Municipal, dinamiza o concelho e, so­bretudo, dão oportunidade às famílias de não terem de sair de Paredes para terem uma oferta cultural.

Na última semana foi apre­sentada a próxima edição do Paredes Cup que mobili­zou e, irá mobilizar em 2019 também, todo o concelho em que estarão presentes ainda mais equipas internacionais. Estas iniciativas promovem o concelho e fazem com que, cada vez mais pessoas co­nheçam Paredes como um bom exemplo e não ape­nas por aparecer em jornais como sendo um dos conce­lhos mais endividados. Es­pero que estes eventos sejam para manter e até aumentar com o tempo e consequente recuperação económica.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA